COVID-19 Medidas e Informações

Projetos cofinaciados na área da segurança e prevenção

 

Projeto SWaPOL - Social Work and Policing
 

Acrónimo | SWaPOL

Designação do Projeto | “Social Work and Policing” - Policiamento e Trabalho Social

Código do Projeto nº | 2018-1-AT01-KA202-039327

Programa de Financiamento | Comissão Europeia – Programa ERASMUS+

Objetivo principal | Partilha de boas práticas de cooperação na área da prevenção e formação entre polícias e técnicos da área social

Região de intervenção | Cidade de Lisboa

Entidade beneficiária | Câmara Municipal de Lisboa (integrada num consórcio)

Data de aprovação | 15-01-2018

Data de início | 01-11-2018

Data de conclusão | 31-10-2020

Custo total elegível | 25.631,00 EUR

Apoio financeiro da União Europeia | 25.631,00 EUR

Apoio financeiro público nacional/regional | n/a

Coordenação | European Centre for Social Welfare Policy and Research (Áustria)

Parceiros | Câmara Municipal de Lisboa – Polícia Municipal de Lisboa; Universidade do Porto (Portugal), University College Gent (Bélgica); FH Joanneum Gesellschaft MBH (Áustria)

Parceiros associados: Landespolizeidirektion Wien (Áustria); Instituto Politécnico do Porto (Portugal); Ghent University - Innovation Centre for Security (Bélgica); Paolo Police Academy Ghent (Bélgica).

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos
O Projeto SWaPOL tem a duração de 2 anos e visa a partilha de modelos de boas práticas de cooperação na área da prevenção, entre técnicos sociais e elementos policiais de vários países europeus, nomeadamente, o desenvolvimento de estratégias e programas de formação ministrada em conjunto para ambos os grupos profissionais.

O projeto contempla as seguintes fases:

  • recolha e partilha das várias experiências nos países da parceria;
  • identificação e definição de temas-chave e de contextos de interação entre técnicos sociais e polícias, para incorporação nos programas de formação;
  • desenvolvimento de metodologias pedagógicas de formação;
  • teste do programa de formação junto de técnicos sociais e polícias em cada país parceiro;
  • elaboração final do programa de formação.

A Polícia Municipal participa no Projeto SWaPOL através da partilha do modelo de formação utilizado no Policiamento Comunitário, designadamente a estratégia desenvolvida de formação conjunta das equipas de Policiamento Comunitário e dos parceiros locais, nos territórios onde o modelo é implementado.

Links | http://www.swapol.eu | https://ec.europa.eu/programmes/erasmus-plus/projects/eplus-project-details/


Acrónimo: CCI

Designação do projeto | Cutting Crime Impact - Reduzir o Impacto do Crime através da inovação baseada na prática em prevenção, investigação e mitigação do alto impacto da pequena criminalidade

Grant Agreement n.º | 787100

Programa de Financiamento: Comissão Europeia - Programa Horizonte 2020

Objetivo principal | Contribuir para o desenvolvimento de ferramentas de prevenção que ajudem as Polícias e Autoridades Locais a prevenirem e reduzirem o impacto da pequena criminalidade e incivilidades no quotidiano dos cidadãos

Região de intervenção | cidade de Lisboa

Entidade beneficiária | Câmara Municipal de Lisboa (integrada num consórcio)

Data de aprovação | 15-01-2018

Data de início | 01-10-2018

Data de conclusão | 30-09-2021

Custo total elegível | 132.745,00 EUR

Apoio financeiro da União Europeia | 132.745,00 EUR
Apoio financeiro público nacional/regional | n/a

Coordenação | Centro "Design Against Crime Solution" da Universidade de Salford, Manchester, (Reino Unido)

Parceiros | Câmara Municipal de Lisboa – Polícia Municipal de Lisboa; Polícia da Área Metropolitana de Manchester (Reino Unido);  Polícia Nacional dos Países Baixos e  Consultora "DSP-Groep“, Universidade de Groningen (Países Baixos) ; Polícia e Guarda de Fronteira (Estónia); Divisão Criminal da Polícia Alemã da Baixa Saxónia e Instituto Alemão de Prevenção (Alemanha); Departamento de Administração Interna do Governo da Catalunha (Espanha); Forum Europeu de Segurança Urbana (França); Agência LOBA - Customer Experience Design (Portugal).

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos
O projeto Cutting Crime Impact (CCI) tem a duração de 3 anos e irá desenvolver ferramentas inovadoras em 4 áreas de intervenção:

  • Policiamento Comunitário;
  • Policiamento Preditivo;
  • Prevenção Criminal através do Planeamento e Desenho Urbano;
  • Medição do Sentimento de Segurança dos Cidadãos.

A Polícia Municipal participa no Projeto CCI através da partilha do modelo de Policiamento Comunitário que desenvolve em estreita articulação com parceiros locais, que visa a identificação e resolução conjunta de problemas de segurança a nível local, através de uma abordagem preventiva e participativa, em que a polícia e parceiros reconhecem a responsabilidade partilhada e cooperação na segurança a nível local.

É utilizada uma metodologia baseada na recolha de dados relativos a incivilidades e criminalidade, à utilização do espaço público,  recorrendo-se também à realização de  grupos focais e de entrevistas.

São esperados os seguintes resultados:

  • desenvolvimento de ferramentas e elementos de apoio, recursos e materiais de orientação que promovam a eficácia das ações (tecnologias);
  • implementação de abordagens efetivas que contribuam para a melhoria da segurança e proteção dos cidadãos;
  • soluções inovadoras para apoiar as polícias e autoridades locais no planeamento de locais mais seguros.

Links | Site | Facebook | Twitter | Youtube


Designação da Operação: Aquisição de 1 (um) Veículo Tanque Tático Florestal para garantir o Dispositivo de Defesa da Floresta Contra Incêndios – Município de Lisboa

Código da Operação: POSEUR-02-1810-FC-000205

Objetivo principal: Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos

Região de intervenção: Lisboa

Entidade beneficiária: Município de Lisboa

Data de aprovação: 28/03/2017

Data de início: 07/12/2017

Data de conclusão: 22/02/2018

Custo total elegível: 157.032,00 €

Apoio financeiro da União Europeia: 125.625,60 €

Apoio financeiro público nacional/regional: 31.406,40 €

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos: O Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa (RSB) não integrava na sua frota de um veículo tanque, todo o terreno (Veículo Tanque Tático Florestal - VTTF). Acresce ainda, a idade dos veículos tanque do RSB ser bastante elevada, causando acrescido tempo de inatividade e elevados custos de manutenção e reparação de avarias.

Com a aquisição do VTTF, o RSB passa a dispor de um veículo apropriado para o apoio ao combate a incêndios florestais, contribuindo para a preservação de espaços essenciais para a população da Cidade de Lisboa e também para um significativo reforço da segurança da população na interface urbano-florestal.

O Município de Lisboa ficou agora capacitado com um veículo tanque específico para o combate a incêndios florestais, possibilitando uma resposta mais eficaz e segura, reduzindo significativamente o tempo ativo dos incêndios florestais.

Assim sendo, o RSB passa a dispor na sua frota de socorro de um meio operacional, que constitui um importante reforço no combate aos incêndios florestais no distrito de Lisboa, assim como a nível nacional, aquando solicitado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Código da Operação: POVT-12-0435-FCOES-00091

Designação da Operação: Veículos de Socorro de Combate a Incêndios
01-03 - Prevenção, Gestão e Monitorização de Riscos Criminais e Tecnológicos
01-03-03 - Prevenção e Gestão de Riscos

Estado: A Operação encontra-se totalmente concluída a 14 de dezembro de 2015

Descrição: A Operação consistiu no seguinte:

  • aquisição de 3 Veículos Urbanos de Combate a Incêndios (VUCI);
  • aquisição de 3 Veículos Ligeiros de Combate a Incêndios (VLCI);
  • aquisição de 2 Veículos de Socorro e Assistência Tático (VSAT).

A responsabilidade legal no âmbito da prestação de socorro em caso de incêndios, inundações, desabamentos, abalroamentos, desencarceramentos e em todos os acidentes, catástrofes ou calamidades no município de Lisboa compete ao Regimento de Sapadores Bombeiros (RSB), integrado na estrutura da orgânica da Câmara Municipal de Lisboa.

Para tal, o RSB encontra-se equipado com uma vasta gama de veículos e equipamentos, que lhe conferem capacidade operacional de poder intervir não só em tempo útil a todas as situações que diariamente acontecem, como também nas de maior especificidade. Para o poder fazer, os veículos e equipamentos têm de oferecer garantias operacionais cada vez que são utilizados.

Acresce ainda que, com o evoluir da idade e devido à sua especificidade, os custos despendidos com a manutenção aumenta exponencialmente, tornando-se numa gestão financeira extremamente difícil, uma vez que sendo viaturas essenciais para as ações de emergência e socorro, têm de estar o tempo mínimo paradas (para manutenção e reparação de avarias), de modo a não comprometer a componente operacional onde estão inseridas.

A permanente capacidade de resposta aliada a uma cada vez mais adequada resposta na condução de uma ação de socorro, passa pela constante necessidade de investimento em novas tecnologias, materiais, equipamentos e veículos.

Deste modo, o RSB teve a necessidade de ser reequipado com a finalidade de se manter na vanguarda da emergência e do socorro, de modo a poder cumprir com o máximo de eficiência todas as missões de emergência e socorro para as quais está vocacionado e legalmente obrigado a cumprir.

 

Designação do projeto | Cartografia de Vulnerabilidade Térmica - Mapeamento dos efeitos das ondas de calor em Lisboa, face às projeções climáticas

Código do projeto | POSEUR-02-1708-FC-000060

Objetivo principal | Promover a adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos

Região de intervenção | Lisboa

Entidade beneficiária | Município de Lisboa

Data de aprovação | 18-05-2018

Data de início | 31-03-2018

Data de conclusão | 31-12-2020

Custo total elegível | 583.984,72 €

Apoio financeiro da União europeia | 437.988,54 € FEDER/FC

Apoio financeiro público nacional/ regional | 145.996,18 €
 

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos:
A operação visa aprofundar o conhecimento sobre vulnerabilidades à temperatura elevada, através da produção de cartografia temática, que permita conhecer os efeitos, nomeadamente as Ondas de Calor (OC) e a Ilha de Calor Urbano (ICU), e também a conceção de ferramentas de gestão. Este conjunto de ferramentas permitirá no presente e face aos cenários climáticos projetados, planear e concretizar a adaptação à temperatura elevada bem como aos efeitos correlacionados.
A Cartografia de Vulnerabilidade Térmica materializar-se-á num conjunto de ações que darão resposta às alterações climáticas, nomeadamente:

I - Melhorar o nível de conhecimento do território - A cartografia numérica vetorial, contém a representação espacial detalhada das componentes de ocupação do território e é indispensável ao desenvolvimento do modelo tridimensional de ocupação urbana superficial (MDS). A informação obtida a partir desta base cartográfica e do MDS permite desenvolver cartografia temática que traduza o comportamento do território face à temperatura elevada, ponderando as suas várias componentes e respetivas interações, no presente e face aos cenários climáticos projetados ao longo do século 21;

II - Formulação de medidas de adaptação às ondas de calor através de ferramentas de simulação - A cartografia temática permite a conceção de modelos de simulação que identifiquem áreas críticas de intervenção face aos efeitos das OC e simular à micro-escala, o comportamento de variáveis na aplicação de medidas concretas: efeitos de variáveis dinâmicas (vento) na ICU, papel da infraestrutura verde e das superfícies de água na regulação do clima urbano, entre outros.

III - Promover a integração da adaptação em políticas sectoriais – O aprofundamento do conhecimento obtido com os resultados deste projeto permite atuar de forma integrada em vários setores, tais como o planeamento urbanístico, ambiente, proteção civil, reabilitação urbana, saúde e direitos sociais, energia e governança. No setor do Ambiente, pretende-se identificar, proteger e reforçar os ecossistemas naturais que contribuem para a resiliência, incluindo água e zonas húmidas, solo e vegetação, com efeitos diretos na regulação do clima urbano.

Código da Operação: LISBOA-01-0527-FEDER-000894

Designação da Operação: Cartografia Geotécnica em áreas urbanas - Lisboa

Estado: Em curso

Descrição: Tem como objetivo constituir, para a cidade de Lisboa, uma base de dados georreferenciada que efetue a compilação e gestão dos dados geológicos, geotécnicos e hidrogeológicos disponíveis nos arquivos da CML. Esses dados permitem obter conhecimento acerca das caraterísticas do subsolo, possibilitando a determinação das espessuras dos materiais de cobertura, principal condicionante à ocupação, possibilitando o desenvolvimento de cartografia de aptidão à construção, o que numa cidade como Lisboa, promove a redução de custos e otimização de novos projetos. Além disso, estes dados de caraterização permitem outras aplicações, nomeadamente uma melhor aferição da vulnerabilidade a fenómenos naturais visando a aplicação de medidas mitigadoras que por sua vez aumentem a resiliência da cidade.

Código da Operação: POVT-12-0435-FCOES-000101

Designação da Operação: Sistema Operacional Integrado de Prevenção do Risco Meteorológico em Lisboa

Estado: Concluída

Descrição: O Sistema Operacional Integrado de Prevenção do Risco Meteorológico em Lisboa possibilita a inclusão de diversas fontes de informação numa única plataforma, facilitando a interpretação imediata da perigosidade da situação meteorológica corrente e espectável ao nível do concelho de Lisboa. A disponibilização imediata deste tipo de informação é determinante para a previsão de situações a muito curto prazo que, por vezes, escapam aos modelos numéricos. Trata-se de um sistema preventivo que permite melhorar a resposta da proteção civil de Lisboa perante uma emergência, minimizando os efeitos decorrentes.

Este sistema, sendo transversal, global e integrador, em todas as fases do ciclo de emergência, permite superar um conjunto significativo de constrangimentos na área da prevenção, gestão e monitorização dos riscos naturais que concorrem para a promoção de um território menos vulnerável a situações de risco, apresentando valências nos domínios:

  •  Da prevenção de situações meteorológicas, através da definição do nível de alerta a acionar, em termos de vulnerabilidade ao incêndio, inundação e sismo/tsunami, ou do fornecimento de informação de suporte a estudos e pareceres técnicos;
  • Do planeamento de emergência, através da criação de uma base de dados meteorológicos de suporte à definição de cenários e de procedimentos de atuação, os quais serão transpostos para os diferentes instrumentos de planeamento de emergência de proteção civil;
  • Do socorro a situações originadas pelo mau tempo e no seu encaminhamento, durante e pós-emergência.

Código da Operação: 608030 (FP7-SEC-2013-1)

Designação da Operação: POP-ALERT - Population Alerting: Linking Emergencies, Resilience and Training

Estado: Concluído

Descrição: Através do estudo comportamental e da utilização de tecnologias de gestão de crises, este projeto procura diagnosticar a capacidade das sociedades para fazer face a desastres de larga escala, tendo em atenção os diferentes grau de aceitação do risco e a predisposição para a adoção de medidas de prevenção/preparação. Os dados recolhidos permitirão incorporar a diversidade de perspetivas dos grupos e indivíduos na definição de estratégias e de metodologias que procuram melhorar a resposta da população a situações de emergência. Coordenado pela University of Greenwich, com o suporte técnico da European Organisation for Security, o projeto POP-ALERT congrega, ainda, os seguintes parceiros:

  • Association Comité National Francais du CTIF (Comité Technique International de Prévention et d’Extinction du Feu) – França
  • Service Départemental d'Incendie et de Secours de la Haute-Corse - França
  • Center for Security Studies - Grécia
  • ALTRAN BV - Holanda
  • Câmara Municipal de Lisboa - Serviço Municipal de Protecção Civil – Portugal
  • EDISOFT - Empresa de Serviços e Desenvolvimento de Software SA - Portugal
  • University of Chester -  Reino Unido
  • Training 4 Resilience – Reino Unido
  • Siemens Schweiz AG – Suiça