COVID-19 Medidas e Informações

Bibliografia

Princípios básicos

  • Anexo Nacional do EC8 (2009). Documento de trabalho da CT115, LNEC, Lisboa, Fevereiro.
  • Anuário do Património (2012) Boas Práticas de Conservação e Restauro.Nº1. GECoRPA.
  • Appleton, João (2003). Reabilitação de Edifícios Antigos:Patologias e tecnologias de Intervenção. Orion.
  • Appleton, Júlio (2008). Reforço Sísmico de Estruturas de Betão. Actas do Encontro Nacional de Betão Estrutural, Editor P. Lourenço, Guimarães.
  • Appleton, J.G. (2005). Reabilitação de Edifícios Gaioleiros: Um Quarteirão em Lisboa. Edições Orion.
  • Campanella, C.;.(2003). Obras de Conservação e Restauro Arquitectónico. Condições Técnicas Especiais Co-ordenação J Mascarenhas Mateus. CML.
  • Cardoso R, Lopes M (2004). Seismic assessment of ‘Pombalino’ buildings. Proceedings of the 13th World Conference on Earthquake Engineering, 1-6 August, Vancouver, British Colombia, Canada.Carvalho, E.C. et al. (1998). Regras Gerais de Reabilitação e Reconstrução de Edifícios Correntes Afectados pela Crise Sísmica do Faial, Pico e São Jorge Iniciada pelo Sismo de 9 de Julho de 1998, Edição LREC.
  • Costa, Guedes, Varum, editors (2014). Structural Reliability of Old Buildings. Springer.
  • Chidiac, S.E.; Foo, S (2002). Guidelines for the seismic upgrading of stone-masonry structures. Chidiac & Associates Limited; Public Works & Government Services Canada.
  • Cóias e Silva, V. (2004). Guia Prático para a Conservação de Imóveis. Edição D. Quixote.
  • Cóias e Silva, V. (2007). Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos. Alvenarias. Madeiras. Técnicas pouco Intrusivas. Argumentum/GECoRPA.
  • Costa, A.G.; Arêde, A. (2004). Strenghtening of Structures  Damaged by the Azores Earthquake of 1998. Actas do 6º Congresso Nacional de Sismologia e Engenharia Sísmica, Editor P. Lourenço, Guimarães.
  • EN 1998-3 (2001) Part 3: Assessment and retrofitting of buildings. European Committee for Standardization.
  • Ferreira, M.A. (2012). Risco sísmico em sistemas urbanos. PhD Thesis. Instituto Superior Técnico, Universidade Técnica de Lisboa.
  • Guevara, T P. (2009) Arquictetura Moderna en Zonas Sísmicas. Editorial Gustavo Gili, SL., Barcelona.
  • Guevara, T P. (2012) Configuraciónes Urbanas Comtemporáneas en Zonas Sísmicas. Faculdad Arquitectura y Urbanismo, Universidad Central de Venezuela.
  • Lamego, P. (2014). Reforço Sísmico de Edifícios de Habitação. Viabilidade da Mitigação do Risco. Ph.D. Thesis, Universidade do Minho.
  • Lourenço, Coelho, Vasconcelos, Pina dos Santos, Editores (2007). Paredes de Alvenaria. Seminário: Inovação e Possibilidades Actuais. Universidade do Minho/LNEC.
  • Moreira, S.M.T. (2015). Seismic Retrofit of Masonry-to-TimberConnections in Historical Construction. Ph.D. Thesis, Universidade do Minho.
  • Mota de Sá, F. (2016). Seismic Risk - New instruments for Analysis and Communication. Ph.D. Thesis, Instituto Superior Técnico, Department of Civil Engineering, Architecture and Georesources, University of Lisbon, Lisbon, Portugal.
  • Mota de Sá, F. et al. (2018). An Expeditious Procedure to Assess the Seismic Risk of Individual Buildings in Lisbon. Paper submitted to the 16ECEE, Thessaloniki.
  • NP EN 1998-1 (2010). Eurocódigo 8 – Projecto de estruturas para resistência aos sismos – Parte 1: Regras gerais, acções sísmicas e regras para edifícios.
  • Özcebe, G. et al. (2002). Seismic Assessment and Rehabilitation of Existing Buildings (Seismic Assessment). NATO-SfP977231.
  • Pinho, F.F.S. (2000). Paredes de Edifícios Antigos em Portugal. LNEC.
  • Proença, J.M.; Gago, A. S. (2011). Parque Escolar. Reforço Sísmico de Edifícios Escolares. Argumentum.
  • SPES/GECoRPA (2001). Redução da vulnerabilidade sísmica do edificado. Eds. SPES/GECoRPA.
  • RGCU (1930) Regulamento Geral da Construção Urbana. Direcção Geral dos Serviços de Urbanização e Obras, CML, 1944.
  • RSA (1983). Regulamento de segurança e acções para Estruturas de edifícios e pontes. Decreto-Lei n.º 235/83 de 31 de Maio e Decreto-Lei n.º 357/85 de 2 de Setembro. Imprensa Nacional - Casa da Moeda, Lisboa.
  • RSCCS (1958). Regulamento de segurança das construções contra os sismos. Decreto n.º 41658. Imprensa da Casa da Moeda. Lisboa.
  • RSEP (1961). Regulamento de solicitações em edifícios e pontes. Decreto n.º 44041. Imprensa da Casa da Moeda. Lisboa.
  • Sismos e Edifícios (2008). Lopes, M. (Ed.). Edições Orion. 760 pp.
  • Sousa R. et al. (2017). Caracterização do comportamento sísmico de edifícios de betão armado representativos do edificado português sem dimensionamento sismo-resistente. rp ee Revista Portuguesa de Engenharia de Estruturas, Série III, n.º 3, p. 105-114.
  • Tavares, Costa Varum Editores (2011). Manual de Reabilitação e Manutenção de Edifícios. Guia de Intervenção. Dept. Eng. Civil, Universidade de Aveiro.
  • URBSIS (2016). Avaliação à da Vulnerabilidade e Gestão do Risco Sísmico à Escala Urbana. Editores, R. Vicente, T. Ferreira; R. Maio, Universidade de Aveiro.
  • Azevedo, Hélder Daniel de Sousa (2010). Reforço de Estruturas de Alvenaria de Pedra, Taipa e Adobe com Elementos de Madeira Maciça. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil - Especialização em Construções. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
  • Branco, Miguel Eduardo Moura (2007). Reforço Sísmico de Edifícios de Alvenaria - Aplicação a edifícios “Gaioleiros”. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil. Instituto Superior Técnico.
  • Maurício, Tiago Gonçalo Garcia (2012). Rebocos Armados Aplicados em Paredes de Edifícios Antigos e Novos. Levantamento de Soluções, Técnicas de Aplicação e Características. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil – Perfil de Construção, Universidade Nova de Lisboa.
  • Moita, Bruno Miguel Sobral (2013). Reforço e Reabilitação Sísmica de Construções da Baixa Pombalina. Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Construção Civil, Instituto Politécnico de Setúbal.
  • Rodrigues, Jorge Miguel Vital (2010). Principais Técnicas de Consolidação e Reforço de Paredes de Edifícios Antigos. Tese de Mestrado em Engenharia Civil na especialidade de Reabilitação de Edifícios, Universidade Nova de Lisboa.
  • Roseiro, Joana (2012). Causas, Anomalias e Soluções de Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos. Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia Civil. Universidade Nova de Lisboa.
  • Lázaro, Paulo (2013). Projeto de Arquitetura n.º 1064/EDI/2013, para um edifício em COWORK, sito na Rua do Benformoso, 227 / Rua da Palma, 316-316A. A obra encontra-se concluída.
  • Oliveira Pinto, Luís (2017), Levantamento fotográfico. Técnico Superior de Arquitetura, da Direção Municipal de Habitação e Desenvolvimento Local da Câmara Municipal de Lisboa.
  • Guia para a Reabilitação do Centro Histórico de Viseu, Coordenação: Prof. Arq.º António Manuel Reis Cabrita e Arq.º Francisco Pires Keil Amaral. Acedido em 4 de outubro de 2017.
  • Geodados, retirados do “site” Lisboa Interativa (Lxi), em Planeamento e Reabilitação \ PDM em Vigor (DR 168 – II Série de 30 de Agosto 2012 Aviso 11622/2012) \ P. Ordenamento Riscos Naturais II \ Vulnerabilidade Sísmica dos Solos. Acedido em 6 de outubro de 2017.
  • MECALUX, Sistema de andaimes multidirecional (Apport) (2017). Acedido em 12 de outubro de 2017.
  • ScaffMag.com, scaffolding  (2017). Acedido em 12 de outubro de 2017.
  • Stock, Matthew and co-authored by Schilling, Barry. (2017). Acedido em 10 de outubro de 2017.
  • InspectAPedia ®  Free Encyclopedia of Building & Environmental Inspection, Testing, Diagnosis, Repair. Acedido em  10 de outubro de 2017.
  • Appleton, Júlio. Apresentação. Acedido em 6 de outubro de 2017.
  • Designbuid-network.com. Acedido em 12 de outubro de 2017.
  • Trekker Group. Acedido em 12 de outubro de 2017.
  • Plano B Arquitetura, Acedido em 12 de outubro de 2017.
  • DBZ – Deutsche BauZeitschrift. Acedido em 12 de outubro de 2017.
  • Decoreng.Engenharia. Acedido em 12 de outubro de 2017.

Fundações

  • Appleton, J. (2003). Reabilitação de Edifícios Antigos. Patologias e tecnologias de intervenção, Edições Orion.
  • Cóias, V. (2007). Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos, Argumentum / GECoPRA.
  • Costa, A., A. Arêde, et al., Eds. (2014). Reabilitação Estrutural. Casos práticos de Intervenção em estruturas patrimoniais. Porto, Instituto da Construção, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
  • Lourenço, P. B. (     ). Reabilitaçãode edifícios de alvenaria e adobe, Universidade do Minho, Departamento de Engenharia Civil.
  • Magalhães, D. (2014). Sistemas construtivos de reabilitação e reforço de fundações. Porto, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. MSc.
  • Neves, M. J. N. d. (2010). Técnicas de Recalçamento e Reforço de Fundações. Metodologias, Dimensionamento e Verificações de Segurança, Lisboa, Instituto Superior Técnico. MSc.

Paredes

  • Appleton, J. (2003). Reabilitação de Edifícios Antigos. Patologias e tecnologias de intervenção, Edições Orion.
  • Appleton, J. (????). Rabilitação e reforço de estruturas de madeira. Notas das aulas
  • Baião, M., F. Pinho, et al. (2012). Aspectos da reabilitação de edifícios antigos de alvenaria. Conferência Internacional sobre Reabilitação de Estruturas Antigas de Alvenaria. Lisboa.
  • Brignola, A., S. Pampanin, et al. (2009). "Evaluation and control of the in-plane stiffness of timber floors for the performance-based retrofit of URM buildings." Bulletin of the New Zealand Society for Earthquake Engineering · September 2009.
  • Brignola, A., S. Podestà, et al. (2008). In-plane stiffness of wooden floor. 2008 NZSEE Conference.
  • Cóias, V. (2007). Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos, Argumentum/GECoPRA.
  • Flores-Colen, et al. (20??). Paredes. Apontamentos  Tecnologia da Construção de Edifícios, Mestrado Integrado em Engeneharia Civil. Instituto Superior Técnico
  • Giovinazzi, S. (2005). The Vulnerability Assessment and the Damage Scenario in Seismic Risk Analysis. Department of Civil Engineering. Braunschweig, Technical University Carolo-Wilhelmina. PhD: 222.
  • Giovinazzi, S.; S. Lagomarsino (2001). Una metodologia per l’analisi di vulnerabilità sismica del costruito. X Congresso Nazionale “L’ingegneria Sismica in Italia”, Potenza-Matera.
  • Giovinazzi, S.; S. Lagomarsino (2004). A macroseismic method for the vulnerability assessment of buildings. 13th World Conference on Earthquake Engineering, Vancouver, B.C., Canada.
  • Carvalho, E.C.; Oliveira, C.S.; Fragoso, M.R.; Miranda, V.., Ed. (2008). Sismos e Edifícios, Anexo 3, Edições Orion.
  • Maurício, T. (2012). Rebocos Armados Aplicados em Paredes de Edifícios Antigos e Novos. Dissertação de Mestrado e, Engenharia Civil. Faculdade de Ciências e Tecnologia. Universidade Nova de Lisboa.
  • Levantamento de Soluções, Técnicas de Aplicação e Características.
  • Meireles, H.; R. Bento (2013). Rehabilitation and strengthening of old masonry buildings, IST/ICIST.
  • Mendes da Silva, J; Abrantes, V. (2007). Patologia em paredes de alvenaria: causas e soluções. Seminário sobre paredes de alvenaria, P.B. Lourenço at al. (eds.).
  • Mota, K. (2009). Caracterização e Tipificação in situ de paredes de alvenaria de pedra. Tese de Mestrado, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
  • Mota de Sá, F. (2016). Seismic Risk - New instruments for Analysis and Communication. Instituto Superior Técnico, Department of Civil Engineering, Architecture and GeoResources. Lisbon, University Of Lisbon. PhD: 554.
  • Mota de Sá, F., M. S. Lopes, et al. (2018). An expeditious procedure to assess the seismic risk of individual buildings in Lisbon. 16th European Conference for Earthquake Engineering. Thessaloniki.
  • Nunes, M. B. V. C. (2017). Comportamento de uma solução de reforço metálica para pavimentos de madeira. Estudo experimental e numérico Engenharia Civil, Arquitectura e Georecursos. Lisboa, IST/UL. Msc: 125.
  • Pereira da Costa, F. (1927-47). Enciclopédia prática da Construção Civil. Interiores e Exteriores. Fascículo 26. Portugália Editora.
  • Piazza, M., C. Baldessari, et al. (2008). The role of in-plane floor stiffness in the seismic behaviour of traditional buildings. 14 World Conference in Earthquake Engineering. Beijing, China.
  • Pinho,  F.  (2008). Paredes  de  Edifícios  Antigos  em  Portugal (2ª  Edição).  Coleção  Edifícios, Laboratório  de  Engenharia  Civil  (LNEC),  Lisboa.
  • Rosa C.  (2013). Caracterização  de  alvenarias  de  pedra  antigas. Dissertação  de  mestrado, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.
  • Roque,  J  (2002). Reabilitação  estrutural  de  paredes  antigas  de  alvenaria. Dissertação  de mestrado, Escola de Engenharia da Universidade do Minho, Minho

Pavimentos

  • Appleton, J. (2003). Reabilitação de Edifícios Antigos. Patologias e tecnologias de intervenção, Edições Orion.
  • Baião, M., F. Pinho, et al. (2012). Aspectos da reabilitação de edifícios antigos de alvenaria. Conferência Internacional sobre Reabilitação de Estruturas Antigas de Alvenaria. Lisboa.
  • Brignola, A., S. Pampanin, et al. (2009). "Evaluation and control of the in-plane stiffness of timber floors for the performance-based retrofit of URM buildings." Bulletin of the New Zealand Society for Earthquake Engineering · September 2009.
  • Brignola, A., S. Podestà, et al. (2008). In-plane stiffness of wooden floor. 2008 NZSEE Conference.
  • Cóias, V. (2007). Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos, Argumentum/GECoPRA.
  • Giovinazzi, S. (2005). The Vulnerability Assessment and the Damage Scenario in Seismic Risk Analysis. Department of Civil Engineering. Braunschweig, Technical University Carolo-Wilhelmina. PhD: 222.
  • Giovinazzi, S. and S. Lagomarsino (2001). Una metodologia per l’analisi di vulnerabilità sismica del costruito. X Congresso Nazionale “L’ingegneria Sismica in Italia”, Potenza-Matera.
  • Giovinazzi, S. and S. Lagomarsino (2004). A macroseismic method for the vulnerability assessment of buildings. 13th World Conference on Earthquake Engineering, Vancouver, B.C., Canada.
  • Carvalho, E.C., Oliveira, C.S., Fragoso, M.R. e Miranda, V.., Ed. (2008). Sismos e Edifícios, Anexo 3, Edições Orion.
  • Meireles, H. and R. Bento (2013). Rehabilitation and strengthening of old masonry buildings, IST/ICIST.
  • Mota de Sá, F. (2016). Seismic Risk - New instruments for Analysis and Communication. Instituto Superior Técnico, Department of Civil Engineering, Architecture and GeoResources. Lisbon, University Of Lisbon. PhD: 554.
  • Mota de Sá, F., M. S. Lopes, et al. (2018). An expeditious procedure to assess the seismic risk of individual buildings in Lisbon. 16th European Conference for Earthquake Engineering. Thessaloniki.
  • Nunes, M. B. V. C. (2017). Comportamento de uma solução de reforço metálica para pavimentos de madeira. Estudo experimental e numérico Engenharia Civil, Arquitectura e Georecursos. Lisboa, IST/UL. Msc: 125.
  • Pereira da Costa, F. (1927-47). Enciclopédia Prática da Construção Civil. Pavimentos Diversos. Fascículo 18. Portugália Editora.
  • Piazza, M., C. Baldessari, et al. (2008). The role of in-plane floor stiffness in the seismic behaviour of traditional buildings. 14 World Conference in Earthquake Engineering. Beijing, China.

Cobertura

  • Appleton, J. (2003). Reabilitação de Edifícios Antigos. Patologias e tecnologias de intervenção, Edições Orion.
  • Appleton, J. G. (2005). Reabilitação de Edifícios "Gaioleiros", Orion.
  • Cóias, V. (2007). Reabilitação Estrutural de Edifícios Antigos, Argumentum/GECoPRA.
  • Freitas, V. P. (2012). Manual de Apoio ao Projecto de Reabilitação de Edifícios Antigos, Ordem dos Engenheiros, Região Norte.
  • Lopes, M., Ed. (2008). Sismos e Edifícios, Edições Orion.

Elementos Não-Estruturais

  • A Homeowner’s Guide to Earthquake Retrofit (1999). Institute for Business & Home Safety. ISBN 1-885312-22-9.
  • Earthquake Country Alliance (ECA). Southern California Earthquake Center.
  • FEMA (2004). Non-structural earthquake mitigation – Guidance Manual, Federal Emergency Management Agency (FEMA), Washington.
  • Ferreira, M.A.; Oliveira, C.S.; Mota de Sá, F.; Lopes, M.; Pais, I. (2018). KnowRISK Portfolio of solutions: for the reduction of seismic risk through non-structural elements. KnowRISK project.
  • Ferreira, M.A.; O’Neill, H.; Solarino, S.; Musacchio, G.; Oliveira, C.S.; Lopes, M.; Vicente, M. (2017). KnowRISK Guia Prático: Prepare a sua casa para um terramoto. KnowRISK project.
  • KnowRISK  (Know  your  city,  Reduce  seISmic  risK  through  non-structural elements)  (2016-2017)  project.  Co-financed   by   European   Commission's   Humanitarian   Aid and Civil Protection   Grant   agreement ECHO/SUB/2015/718655/PREV28.
  • Mota de Sá, F. (2017). Portfolio: Procedures for minimizing the risk of non-structural damages.  Deliverable C4, Task C–Non-structural seismic risk reduction. KnowRISK project.