Cultura

projetos cofinanciados na área da cultura


Projeto: 2. Melhorar a oferta cultural e de espaços multiusos


Estado: Em curso

Acção 2.1: Requalificação integral do edifício do MUDE – Museu do Design e da Moda

Descrição: A Empreitada de Requalificação Integral do edifício do MUDE - Museu do Design e da Moda, a cargo da SRU‐Sociedade de Reabilitação Urbana no âmbito do Contrato de Mandato celebrado entre o Município e esta empresa municipal (detida a 100% pelo município), visa requalificar um edifício emblemático da baixa pombalina, situado atualmente na Rua Augusta nº24, no antigo edifício do BNU.

Detentor de um acervo que é considerado uma das mais importantes coleções de design e de moda a nível internacional, adquirida, em 2002, pela Câmara Municipal de Lisboa,  composto por cerca de 1000 objetos de mobiliário e utilitários de design, o MUDE conta ainda com 1200 peças de alta costura, representativas dos momentos artísticos mais marcantes do século XX,

 O objetivo do programa museológico e do projeto de arquitetura é transformar um edifício pensado como um espaço fechado, hierárquico e segregado que refletia uma cultura autocrática, num lugar vivo, inclusivo e dinâmico que promova a experiência plena e participativa dos seus visitantes. Para o concretizar, define-se a abertura ao público da maioria das áreas de acesso restrito do antigo banco, transformando-as em espaços públicos para atividades educacionais, residências de designers, centros de documentação, debates e encontros. É também projetado um sistema de circulação multidirecional e fluido, de modo a oferecer múltiplas opções para que cada visitante possa alcançar as diferentes áreas públicas e escolher os seus percursos. As múltiplas valências do museu desenvolvem-se na configuração espacial atual ou reativam espaços originais, que, entretanto, se encontravam fechados, preservando os elementos fundamentais do projeto de Tertuliano Marques e Cristino da Silva de modo a reforçar a identidade do quarteirão.

    Custo do investimento elegível no Plano de Obras 2022: 1 924 655,16 €
    Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 1 924 655,16 €


 

Projeto: 2.Qualificação/Valorização da Oferta Cultural de Lisboa

Estado: Concluído

Grande exposição internacional

Descrição: Assente numa parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com uma abordagem multidisciplinar, tem o objetivo de cruzar os dados dos acervos históricos nacionais e, sobretudo, municipais, com os dados resultantes do estudo dos vestígios materiais recuperados em intervenções arqueológicas realizadas sob os auspícios da autarquia, permitindo um conhecimento mais amplo e transversal de um dos mais importantes hospitais da cidade de Lisboa, o “Hospital Real de Todos os Santos”. Devido à necessidade de aprofundar esta investigação e divulgá-la amplamente junto do grande público, estava prevista em 2020 a inauguração de uma exposição temporária, entretanto cancelada devido aos constrangimentos criados pela pandemia Covid-19 e às restrições de acesso ao público. Dada a importância dos resultados já alcançados, o guião previsto para a exposição foi adaptado e revertido para uma publicação bilingue (PT e EN), permitindo assim aumentar o conhecimento para a história e o estudo dos hospitais e da saúde pública em Portugal e sobretudo em Lisboa.

  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 43 728,35€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 43 728,35€
     

MUDE – Requalificação e exposições

Descrição: apoio à obra de requalificação do MUDE, no que respeita a aquisição e montagem de um sistema modular de iluminação, ao enriquecimento do seu acervo, através da aquisição de novas reservas, e à realização e à divulgação e montagem de exposições, nomeadamente: “Design  em São Bento” e “Lixo ou Luxo”,   intervenção de reabilitação/reconstrução do muro de apoio, que se encontrava em perigo iminente, para reposição da sua estabilidade.

  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 288 419,47€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 288 419,47€

Polos culturais

Descrição: No âmbito desta iniciativa foram financiados diversos equipamentos, designadamente:

  • Requalificação das “Residências Artísticas da Boavista”, compostas por 4 apartamentos, instaladas num edifício de traça pombalina recuperado e adaptado a espaços destinados ao alojamento temporário de profissionais que estejam em processo de criação artística na cidade. A projeto incidiu sobre 3 grandes áreas de atuação: reestruturação das instalações, recheio e equipamento;  
  • Requalificação da “Casa do Cinema”, que alberga desde então, oito entidades ligadas à organização de festivais de cinema e a outras vertentes desta área artística;
  • Disponibilização da plataforma digital “LAAR – Lisboa Acolhe Artistas em Residência”, que tem por missão apoiar a criação artística, através da divulgação, num único suporte, das residências artísticas que têm lugar em Lisboa;
  • Mapeamentos de Equipamentos Culturais da cidade de Lisboa, cujo objetivo é a construção e manutenção de uma base de dados com informação disponível a todos sobre a oferta de espaços para fins culturais, de modo a possibilitar a pesquisa a quem procura um espaço para produzir e realizar uma atividade de cariz cultural
     
  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 88 430,82€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 88 430,82€

Intervenção antigraffiti – ações de sensibilização e de Limpeza de graffiti e remoção de cartazes

Descrição: Esta atividade tem duas funções principais, por um lado apoiar a divulgação do graffiti enquanto peça de arte urbana, através de iniciativas propostas pelo GAU-Gabinete de Arte Urbana e, por outro, o controlo da proliferação desordenada de graffiti na cidade de atos vandálicos,  que não se confundem com os atos próprios de arte urbana e de liberdade de expressão consagrada na Constituição, mas que descaracterizam, alteram e danificam  monumentos, edifícios públicos, religiosos, de interesse público e de valor histórico ou artístico  e constituem, nos termos da legislação, uma violação de propriedade alheia, seja pública ou privada, que em nada contribui para a boa imagem de Lisboa.

  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 1 041 681,56€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 1 013 348,52 €
     

Galerias Romanas

Descrição: Produção de mini comentário sobre o Projeto LISBOA ROMANA | Felicitas Iulia Olisipo

  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 30 996,00€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 30 996,00€
     

Museu de Lisboa – Palácio Pimenta

Descrição: Apoio à aquisição de obras de arte para integrar a Coleção de Arte Contemporânea da Câmara Municipal de Lisboa.

  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 471 381,97€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 471 381,97€
     

PISAL – Banco do azulejo

Descrição: apoio à salvaguarda do património azulejar de Lisboa, como um bem comum, pelo seu significado cultural, histórico e artístico, nomeadamente nas intervenções de conservação e restauro dos seguintes painéis:

  • Palácio da Mitra, conservação e restauro de azulejos (séc. XVIII);
  • Muro do Hospital CUF na Avenida 24 de Julho, da autoria de Querubim Lapa (séc. XX);
  • fachada do Palácio da Justiça (incluindo placas de cerâmica relevada) com obras de Jorge Barradas, Júlio Resende e Querubim Lapa (séc. XX);
  • Escola Secundária D. Luisa de Gusmão, da autoria de Querubim Lapa (séc. XX);
  • composições azulejares do Parque das Nações;
  • Custo do investimento no Plano de Obras 2020: 32 485,62€
  • Comparticipação esperada do Turismo de Portugal, IP: 32 485,62€

 


Designação do projeto: ROTA DO MEMORIAL DO CONVENTO
Código do projeto: LISBOA-04-2114-FEDER-000027

Objetivo principal: PROMOVER A VALORIZAÇÃO CULTURAL E NATURAL, AFIRMANDO A REGIÃO DE LISBOA COMO DESTINO TURISTICO DE EXCELÊNCIA

Região de intervenção: LISBOA

Entidade beneficiária: CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA (EM PARCERIA COM AS CÂMARAS MUNICIPAIS DE LOURES E MAFRA)

Data de aprovação: 25-05-2017

Data de início: 03-10-2016
Data de conclusão: 31-12-2019

Custo total elegível:179.592,69€

Apoio financeiro da União Europeia: 89.796,35€
Apoio financeiro público nacional/regional: 89.796,35€

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos
Projeto intermunicipal com um financiamento total aprovado de 392.397,20€, com a seguinte atribuição parcial de financiamento a cada um dos municípios parceiros:
Lisboa = 41.272,94€; Loures = 179.592,69€; Mafra = 171.531,57€.

A proposta de rota turística, cultural e literária - Rota do Memorial do Convento - convida os visitantes a conhecer o património histórico construído e o território no qual se insere, pertença dos três municípios parceiros - Lisboa, Loures e Mafra -, por estradas e caminhos entre Lisboa e Mafra, passando por Loures.

A criação da Rota do Memorial do Convento tem por objetivo valorizar a visibilidade, a notoriedade e a atratividade dos recursos patrimoniais e culturais dos concelhos de Lisboa, Loures e de Mafra e dos sítios onde os monumentos históricos e arquitetónicos classificados se localizam, tendo presente a preocupação em transformar estes valores patrimoniais em fatores de competitividade e de desenvolvimento sustentável na Região de Lisboa. É, igualmente, seu objetivo, constituir uma oferta de novos nichos de turismo de cultura, valorizando a componente literária e constituindo, dessa forma, oferta diferenciadora e potenciadora de vivências múltiplas.

Para concretizar este propósito, o presente projeto apresenta um conjunto de estratégias e de ações, a várias escalas, centradas na salvaguarda e valorização do património cultural classificado dirigidas à criação e/ou ampliação de novas centralidades, de novos patrimónios e experiências culturais. Assim, os três parceiros estruturaram o referido projeto em ações comuns e ações específicas.

 

Acrónimo: ACCESS

Designação do Projeto: “ACCESS to Culture for all Citizens” (Phase 1 + Phase 2)

Código do Projeto: n.º CCI2014TC16RFIR003 | Ref. : 5827 / 1554208812

Programa de Financiamento: Comissão Europeia – Programa URBACT III

Objetivo principal: O objetivo deste projeto é obter uma melhor compreensão das comunidades para que se possam desenvolver acções culturais mais inclusivas que capacitem a população

Região de intervenção: Cidade de Lisboa

Entidade beneficiária: Câmara Municipal de Lisboa (integrada num consórcio)

Data de aprovação: 25-06-2019

Data de início: 02-09-2019

Data de conclusão: 15-03-2022

Custo total elegível: 59.758,50 EUR

Apoio financeiro da União Europeia: 41.830,95 EUR

Apoio financeiro público nacional/regional: 17.927,55 EUR

Coordenação: City of Amsterdam (Holanda)

Parceiros: Câmara Municipal de Lisboa e os municípios de Sofia, Riga, Dublin, Vilnius, Tallinn, Greater London Authority

Parceiros associados: EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.M. (Lisboa)​


Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos
Este projeto identifica a importância crítica da cultura na estratégias de desenvolvimento das cidades, e o desafio de envolver os cidadãos através de ações inclusivas. As cidades envolvidas tem consciência que as atuais políticas e estratégias culturais locais não alcançam ou proporcionam benefícios de igual forma para todos os cidadãos e, como tal, há um acesso desigual à oferta cultural nas nossas cidades e aos impactos positivos que a cultura traz à vida de todos os cidadãos. O objetivo deste projeto é conseguir compreender melhor as comunidades e as suas motivações e barreira para que se possam desenvolver ações culturais mais inclusivas que capacitem a população.

São objectivos específicos:

  • trabalhar com base nas evidências, reunir, analisar e usar dados estatísticos e o conhecimento como base sólida para a construção das políticas de cidade;
  • descentralizar as atividades culturais que tendem a ser muito concentradas no centro da cidade;
  • aumentar a participação dos munícipes e visitantes na fruição, produção e co-criação de atividades culturais;
  • incrementar o conhecimento e utilização de soluções inteligentes, tanto digitais quanto inovadoras, transversais à fruição e produção no sector e nas comunidades.

Este é um projeto de estratégia e planeamento. As atividades a desenvolver têm como objetivo a construção de um Plano Estratégico Local, desenvolvido em articulação com as restantes cidades europeias, mas adequado às necessidades, ambições e capacidades de cada cidade. Lisboa irá reunir vários grupos de parceiros, identificados como personalidades e organizações com contributos na área, solicitando-lhes contributos à discussão do tema e à construção do plano. Na primeira fase do projeto serão realizados dois encontros transnacionais com o objetivo de delinear um plano de trabalho conjunto, partilha e troca de boas práticas e articulação de metodologias de trabalho entre as oito cidades participantes.

As ações desta rede do URBACT contribuirão diretamente para consolidar as principais ações estratégicas da Cultura:

  • promover a fruição e os hábitos culturais;
  • incentivar a criação, inovação e qualidade artística;
  • criar valor e fortalecer a imagem da cidade através da diversidade e memória coletiva de Lisboa.                                                                                                              

O Plano de Ação a desenvolver nesta rede URBACT e no Grupo Local URBACT de Lisboa reflectir-se-á nas estratégias futuras para a Cultura na cidade de Lisboa, com o valor acrescentado de que este trabalho resultará de uma ampla partilha de experiências e boas práticas de oito capitais europeias, bem como do processo de aprendizagem fornecido pelos especialistas do URBACT.

Saber mais sobre o Urbact

Mais sobre o projeto (em inglês)

 

Designação do projeto | ROCK - Regeneration and Optimisation of Cultural heritage in creative and Knowledge cities

Grant Agreement n.º | 730280

Objetivo principal | Reabilitação Cultural

Região de intervenção | Freguesias de Marvila e Beato

Entidade beneficiária | Câmara Municipal de Lisboa

Data de aprovação | 06-12-2016

Data de início | 01-05-2017

Data de conclusão | 30-04-2020

Custo total elegível | 769.083,75 EUR

Apoio financeiro da União Europeia | Horizonte 2020 - 769.083,75 EUR

Apoio financeiro público nacional/regional | n/a

Objetivos, atividades e  resultados esperados/atingidos:

  • fomentar a criatividade no âmbito e uma estratégia cultural inclusiva, como um desafio constante no processo de reabilitação das cidades;
  • incentivar a salvaguarda e valorização de polos e programações culturais em áreas urbanas consolidadas em função do desenvolvimento de eixos culturais e históricos;
  • Para além da máxima importância a troca de experiências e conhecimentos, entre cidades com as mesmas características e estratégias, por forma a criar um enriquecimento mútuo no âmbito da relevância de cada uma, enquadrada no seu conjunto, estima-se como resultados efectivos e concretos;
  • criação de uma rede culturalmente dinâmica assente em identidades patrimoniais no âmbito da Reabilitação Urbana;
  • desenvolver e apoiar iniciativas inovadoras em todas as áreas, no âmbito da cultura e desenvolvimento urbano, da produção de bens e serviços à formação, manifestando claramente a multiculturalidade dos parceiros.

Consulte o site do projeto


Designação do projeto | ROSSIO - Ciências Sociais, Artes e Humanidades

Código do projeto | 22139

Objetivo principal | Projetos de desenvolvimento e implementação de infraestruturas de investigação inseridas no RNIE

Entidade beneficiária | 500051070, Município de Lisboa

Data de aprovação | 20-12-2017

Data de início | 19-12-2017

Data de conclusão | 17-12-2020

Custo total | 4.864.950,75 €

Custo total elegível | 4.864.950,75 €

Apoio financeiro da União Europeia | 1.945.980,35 €

Apoio financeiro público nacional/regional | 2.918.970,45€

Objetivos

  • criar uma plataforma com conteúdos digitais relacionados com as CSAH de acesso livre e gratuito para todos;
  • assegurar a organização, inter-relação, contextualização e partilha de objetos digitais das CSAH dispersos por várias instituições académicas e não académicas, estatais e civis;
  • fomentar o desenvolvimento de investigação de elevada qualidade sobre as CSAH, estimulando novas agendas e debates;
  • gerar sinergias e articular pessoas e instituições, de forma a suscitar a inovação científica e a disseminação da herança cultural;
  • contribuir para a internacionalização dos estudos sobre as CSAH, permitindo aos investigadores de todo o mundo um acesso facilitado e transparente aos conteúdos de língua portuguesa;
  • construir uma rede sustentável de provedores de conteúdos das CSAH, criando novas ligações entre instituições académicas e não académicas;
  • disseminar competências e ferramentas de trabalho entre os utilizadores da plataforma.

Designação da Operação: Museu de Santo António 

Código da Operação: LISBOA-02-0741-FEDER-001101

Data de Início da Operação: 2012/05/04

Data de Conclusão da Operação: 2014/11/10

Custo Total: 381,542.75 €  

Custo Total Elegível: 381,542.75 €

Taxa co-financiamento: 65,00%

Comparticipação (Fundo): 248,002.79€

A Requalificação e Ampliação do Museu de Santo António visou a melhoria dos espaços de exposição e a remodelação da imagem da fachada, conseguindo assim uma maior visibilidade do Museu. A intervenção incidiu na conversão de dois espaços anexos independentes, a antiga Sala do Risco e o actual Museu Antoniano. Pelo facto de o Museu se encontrar numa localização de difícil visibilidade, sem “exposição” evidente para a envolvente e situado num “canto” urbano, entre a Igreja e o edifício contíguo, as intervenções gráficas e de comunicação efectuadas vieram dar visibilidade e anunciar a existência do Museu e clarificar a sua relação com a Igreja.

Designação da Operação: Casa dos Bicos

Código da Operação: LISBOA-02-0741-FEDER-001103

Data de Início da Operação: 2011/01/31

Data de Conclusão da Operação: 2014/08/01

Custo Total: 1,917,901.75€ 

Custo Total Elegível: 1,837,469.94€

Taxa co-financiamento: 65,00%

Comparticipação (Fundo): 1,194,355.46€

A Casa dos Bicos, classificada como Monumento Nacional, é um edifício ligado ao imaginário dos Lisboetas constituindo um motivo de interesse para os visitantes da cidade de Lisboa, tendo em conta a sua singularidade e o seu carácter excepcional na Cidade. A intervenção de restauro e remodelação da Casa dos Bicos teve como principal objectivo a instalação da Fundação José Saramago e do Núcleo de interpretação das Muralhas da Cidade. A obra foi realizada em 3 fases e integrou um conjunto de trabalhos de diversa natureza, compreendendo aspectos de restauro, de recuperação, de demolições, de substituição parcial de acabamentos existentes por novos de igual qualidade e aparência, de consolidação das fundações, e de modernização de infra-estruturas e adequação à regulamentação actual.

O restauro e remodelação do Edifício para a instalação destes dois equipamentos vem contribuir para o desenvolvimento da rede de espaços de actividade cultural da Cidade, inserindo-se em áreas de reconhecido valor cultural. A sua abertura ao cidadão, cria novas dinâmicas do conhecimento e divulgação de conteúdos colectivo, produzindo forte impacto no apoio ao desenvolvimento social, estabelecendo-se actividades organizadas de visita e utilização do espaço, com evidente impacto na proximidade da zona intervencionada. A criação dos centros de interpretação e seus programas de exposição e funcionalidades económicas associadas tais como, apoio e recepção, áreas Expositivas, Centros de Documentação, Serviços Sociais e Educativos e Auditório, contribuem para o desenvolvimento das actividades económicas, abrangendo visitantes locais e turísticos. A Casa dos Bicos insere-se na antiga freguesia da Sé que, de acordo com os censos de 2011, tem cerca de 910 habitantes. No entanto, por se tratar de uma zona de grande atractividade turística e lúdica, a população que beneficia da intervenção ultrapassa largamente a população residente.

Designação da Operação: Museu do Aljube

Código da Operação: LISBOA-02-0741-FEDER-001102

Data de Início da Operação: 2010/08/16

Data de Conclusão da Operação: 2015/03/19

Custo Total: 1,530,636.23€

Custo Total Elegível: 1,447,627.29 €

Taxa co-financiamento: 65,00%

Comparticipação (Fundo): 940,957.74€

Adaptação do edifício do Aljube ao museu da Resistência e Liberdade, com dupla valência: por um lado a de museu dedicado aos temas da resistência e da liberdade, por outro a de centro de documentação especializado nessas mesmas temáticas, retomando e alargando a acção da actual Biblioteca-Museu República e Resistência. 

O Programa do Museu do Aljube compreende um primeiro núcleo relativo à história do próprio edifício, uma sala de exposições temporárias e núcleos fixos do Museu, dedicados à “Resistência e Liberdade”, com salas preparadas para audio visual, um espaço que recria o ambiente prisional “núcleo-corredor/"curros", sendo o único espaço da exposição permanente do museu. 

Para além dos espaços destinados à administração do Museu, direcção e apoio administrativo, integra ainda a direcção do centro de documentação e do serviço educativo com salas para investigadores e uso público visitante. Inclui ainda uma cafetaria/bar e auditório com uma lotação de 60 lugares.

A criação dos espaços museológicos e seus programas de exposição e funcionalidades económicas associadas tais como, apoio e recepção, áreas Expositivas, Centros de Documentação, Serviços Sociais e Educativos e Auditório, contribuem para o desenvolvimento das actividades económicas, abrangendo visitantes locais e turísticos. O equipamento produz forte impacto no apoio ao desenvolvimento social, estabelecendo-se actividades organizadas de visita e utilização do espaço, com evidente impacto na proximidade da zona intervencionada; A requalificação do Museu do Aljube vem contribuir para e desenvolvimento da rede de espaços museológicos e de actividade cultural da Cidade, inserindo-se em áreas de reconhecido valor cultural. A sua abertura ao cidadão, cria novas dinâmicas do conhecimento e divulgação de conteúdos colectivos.

Código da Operação: LISBOA-03-0841-FEDER 000497

Designação da Operação: Sítio do Fado na Casa da Severa

Estado: Concluída

Descrição: Esta operação responde à intenção de reforço e valorização das práticas culturais e artísticas da Mouraria. O fado é uma marca identitária incontornável neste bairro.

Com esta operação, promove-se a adaptação a Sítio do Fado do edifício sito no Largo da Severa, que integra a Carta Municipal de Património Edificado e Paisagístico, e onde a tradição diz ter vivido a famosa fadista Severa. Com esta adaptação funcional, pretende-se contribuir para a valorização e divulgação do fado na Mouraria e, simultaneamente, prestar um tributo a uma figura associada à história desta expressão artística, tão emblemática da cidade e deste bairro em particular. Pelas implicações que tem no turismo e na dinamização económica do local, a operação teve consequências positivas na revitalização do tecido económico e social do bairro.
A refuncionalização deste imóvel em estrutura cultural e de lazer, é também uma oportunidade de requalificar o imóvel inventariado. Apesar de muito adulterado no interior, o exterior preserva, ainda, as características estilísticas da arquitectura vernacular dos séculos XVI/XVII.

O Sítio do Fado funciona em estreita articulação com o Museu do Fado, localizado no vizinho bairro de Alfama. Foi pensado e projetado como espaço de encontro e tertúlia para os amantes do fado e para todos em geral.

Em complementaridade, a instalação de uma pequena esplanada no espaço público permitirá, também, o alargamento das atividades para o exterior. A operação, pela sua natureza, veio contribuir para a dinamização cultural e económica local, promovendo o reforço da atratividade turística desta área do bairro, dignificando a figura simbólica da Severa e do Fado.

Tal como nas restantes operações, também neste houve a preocupação, desde o início, de um bom desempenho energético-ambiental. Neste caso, dadas as suas características construtivas, somente se conseguiu obter a Categoria C.

 


Acrónimo | PPP

Designação do projeto | People Power Partnership

Código do projeto | 616784-CREA-1-2020-1-DE-CULT-COOP2

Programa de Financiamento | Programa Europa Criativa – Comissão Europeia

Data de aprovação | 27-05-2020

Data de início | 15-10-2020
Data de conclusão | 14-10-2024

Custo total elegível | 3.967.858,00 EUR 

Apoio financeiro da União Europeia | 1.983.929,00EUR

Apoio financeiro público nacional/regional | 102.372,00 EUR

Coordenação | Aktionstheater PAN.OPTIKUM g GmbH
Parceiros | TEATERFORENINGEN FOR HELSINGR KOMMUNE;

TEATRUL NATIONAL RADU STANCA SIBIU; Varazdin Tourist Board;

Kulturos centras Loftas; Foundation INITIUM; FUNDACION PÚBLICA TEATRE DE LA LLOTJA; Município de Loulé; CAMARA MUNICIPAL DE LISBOA; Magna Vitae; Alytaus miesto teatras; COOPERATIVA ITALIANA ARTISTI; CENTRUM CHOREOGRAFICKEHO ROZVOJE SE.S.TA; Pädagogische Hochschule Freiburg

Objetivos, atividades e resultados esperados/atingidos

A candidatura envolve a Biblioteca de Marvila num projeto europeu com mais 13 cidades parceiras, de 11 países, que em cocriação envolvem um total de 104 jovens adultos na realização de 13 produções especificas.

Na fase 1, em 2020, cada parceiro realiza uma audição a potenciais interessados, dirigida pela equipa artística do parceiro líder, para seleção do grupo de 8 jovens adultos que participarão em todo o projeto.

Na fase 2, em 2021, cada grupo de 8 jovens adultos de cada parceiro visita outro grupo por 12 dias e recebe um outro grupo na sua própria cidade. As apresentações baseiam-se em temas escolhidos pelos jovens artistas e, consequentemente, exclusivos para esse espaço urbano em particular e para as pessoas que vivem lá.

Na fase 3, em 2022/2023/2024, em conjunto com a equipa criativa do projeto europeu, os artistas desenvolvem uma produção em grande escala para apresentar no espaço público, que une todas as produções anteriores como um todo. Após a estreia, o espetáculo será apresentado em digressão junto de alguns parceiros do projeto e em alguns festivais internacionais.

No total dos 14 parceiros, haverá 26 performances ao longo do projeto. Durante o período de quatro anos do projeto, os artistas têm a oportunidade de trabalhar juntos cerca de 10 semanas no total. Cada jovem artista viaja para, pelo menos, 4 países diferentes durante o projeto.

O PPP abre uma troca entre os jovens artistas e a equipa criativa em pé de igualdade, o que leva à capacitação de ambos os grupos. É uma abordagem inovadora que se mantém contra os requisitos da “política cultural democrática do século XXI” (Dea Vidović, Fundação Cultural, Zagreb / Adeste +), pois, além do processo participativo, dissemina os resultados artísticos para grandes audiências . Os dois aspectos - participação e resultado artístico - são igualmente importantes. Essa troca entre pares oferece a oportunidade de criar ligações profissionais e pessoais entre si e também com as organizações.

As produções do PPP são desenvolvidas para o espaço público, com foco em questões socialmente relevantes. Para o trabalho de criação na fase 2, todos os artistas atuam como coautores, ou seja, contribuem com temas como base para as produções das suas próprias vidas pessoais em relação a questões relacionadas à sociedade, convivência, ecologia etc. 

As performances específicas são declarações sociopolíticas de alto impacto pela diversidade e pela mudança em relação à maneira como as pessoas pensam sobre o meio ambiente. Os temas de cada uma das 13 produções anteriores fluem para a produção principal da digressão em grande escala.

O projeto também integra o espaço público digital, alcançando especificamente os vários grupos-alvo dos jovens, independentemente de sua origem social, onde eles passam a maior parte do tempo livre: com seus smartphones no espaço virtual da Internet. Usando um aplicativo de gamificação especialmente desenvolvido, o PPP preenche a lacuna entre o mundo virtual e o mundo real, exibindo elementos das produções em um mapa digital da cidade usando GPS, criando assim um nível de comunicação virtual.

Links:
PPP
https://www.instagram.com/people_power_partnership
https://www.facebook.com/people/People-Power-Partnership/100063526090539

Vídeo sobre People Power Partnership - Lisboa